William Marrion Branham

William Marrion Branham (6 de abril de 1909, Kentucky - 1965) foi um influente ministro bíblico dentro das Igrejas Pentecostais Norte-Americanas, creditado como o fundador do Movimento da Chuva Temporã, estabelecendo elementos que ainda estão presentes nas modernas igrejas Pentecostais e Carismáticas (William Branham, todavia, negou conexão com o movimento). Alguns o consideram como um falso profeta, que ensinou doutrinas hereges, e outros, ainda, vêem-no como um verdadeiro profeta.

Branham é considerado por muitos o precursor do movimento de cura pela fé, iniciado em 1947. Outros subgrupos dos movimentos pentecostais e carismáticos foram influenciados por Branham, como o Movimento da Chuva Temporã, a Manifestação dos Filhos de Deus e a Teologia do Reino Agora. Seu ministério resultou em efeitos que ainda se verificam hoje em todo o mundo, estimulando vários outros ministros que se tornaram conhecidos internacionalmente. O objetivo fundamental de seu ministério foi retornar os corações dos cristãos de volta às escrituras e às experiências por que passaram os apóstolos. Seu tema era "Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente".

Juventude, conversão e ordenação

A história da vida de Branham foi um tema comum em seus sermões gravados, havendo, todavia, significativas divergências que tornam alguns fatos um tanto incertos.

Branham nasceu em uma cabana, nas montanhas de Kentucky, sendo o primeiro dos nove filhos de Charles e Ella Branham. O pai de Branham era analfabeto e alcoólatra, educando os seus filhos com dificuldades e em meio à pobreza. Branham descreve, desde a tenra infância, ter passado por experiências sobrenaturais, incluindo visões proféticas. Ele conta que em uma ocasião, durante sua adolescência, foi chamado por um astrólogo, que lhe contou que ele havia nascido sob um sinal especial, e lhe profetizou um importante ministério. A família de Branham era nominalmente Católica; todavia ele conta ter tido um contato mínimo com a Cristandade durante sua infância. Branham ainda teve uma carreira como boxeador, ganhando 52 lutas. Branham narra sua experiência de conversão no final da década de 1920, quando posteriormente foi ordenado pastor numa Igreja Batista em Jeffersonville. Quando, em determinado momento, discordou com seu pastor sobre a possibilidade bíblica de mulheres virem a pregar, Branham passou a preparar uma série de avivamentos em tendas, e presidiu encontros em uma loja maçônica, até ter condições de construir o seu templo em 1933. Seu primeiro nome foi "Primeira Igreja Pentecostal Batista" (Segundo o 'Jeffersonville Evening News' de 10 de junho de 1933), posteriormente renomeado como "Tabernáculo Branham". Depois deste período, Branham reclama ter continuado com experiências e visões proféticas, além de outros eventos sobrenaturais. Em 1936, Branham foi convidado a pregar em uma convenção de igrejas da Unicidade Pentecostal, e recebeu convites para nelas integrar-se. Branham conta que, pressionado por sua sogra, inicialmente não aceitou esses convites, o que resultou em grandes tragédias, incluindo a morte de sua primeira esposa e filha.

 

O sucesso de seu ministério

O final da década de 1930 e o início da década de 1940 não se tem muitos detalhes nas descrições de Branham sobre a história de sua vida. As narrações basicamente se iniciam em um acontecimento ocorrido em Maio de 1946 quando ele rompeu com sua vida ordinária para procurar a Deus e estabelecer um sentido para sua vida. A partir desde ponto, subseqüentemente ele relata que teria recebido uma comissão de um anjo que o fez iniciar o seu público ministério de evangelismo e cura pela fé. Com base em versões de seus familiares, é evidente que Branham conduziu campanhas de cura, pelo menos desde 1941, quando ele conduziu duas semanas de 'reavivamento' em Milltown. (At Totten’s Ford, Believers News, April 1998), e em seu folheto de 1945, 'Eu não fui desobediente à visão celestial', mostra que o seu ministério público de cura divina estava bem estabelecido a esta data.

Por volta da metade da década de 1940, Branham estava conduzindo campanhas de cura quase que exclusivamente com as igrejas da Unicidade Pentecostal. A expansão do ministério de Branham com a comunidade pentecostal se deu com a introdução de Gordon Lindsay em 1947, que rapidamente se tornou seu administrador e promotor. Neste tempo, muitos outros preeminentes pentecostais ingressaram junto ao seu corpo de ministros, como Ern Baxter e FF. Bosworth. Gordon Lindsay provou ser um capaz marketeiro, fundando a revista A Voz da Cura em 1948, que iniciou-se reportando as campanhas de cura de Branham.

Seu trabalho inicial na cura divina atraiu atenção, e as notícias sobre seu dom de cura rapidamente se espalharam, levando a vários pastores locais chamarem Branham para ministrar para suas congregações e orar pelos enfermos. Quando as igrejas locais não acomodavam todos os presentes, os encontros de Branham eram movidos para auditórios maiores ou estádios para campanhas unidas nas maiores cidades da América do Norte.

Em junho de 1947, o Evening Sun, jornal de Jonesboro, Arkansas, noticiou que "residentes de pelo menos 25 estados e do México visitaram Jonesboro, desde que o Reverendo Branham abriu o encontro no campo em 1.º de Junho. O número total de presentes para os cultos perpassa a massa de 20.000". Seu sucesso rápido colaborou para torná-lo ministro em vários países do mundo. De acordo com um historiador pentecostal, “Branham encheu os maiores estádios e salões de encontro do mundo”. Em Durban, Africa do Sul em 1951 ele dirigiu encontros organizados pela Missão da Fé Apóstólica, As Assembléias de Deus, a Igreja da Santidade Pentecostal e a Igreja do Evangelho Completo. Os encontros foram conduzidos em onze cidades, com um público somado de meio milhão de pessoas. No último dia dos encontros de Durban, ocorridos no autódromo de Greyville, um público estimado de 45.000 pessoas esteve presente, enquanto milhares assistiram os cultos do lado de fora dos portões. Como ele viajou ao redor do mundo, ele encontrou-se com muitas pessoas públicas, incluindo o Congressista Norte-Americano William D. Upshaw a quem Branham narra ter sido curado após ter orado por ele. A história desta cura pode ser verificada na página da Wikipédia em inglês sobre o congressista William D. Upshaw. Branham ainda alega ter Deus curado o Rei George VI da Inglaterra de esclerose múltipla por meio de suas pregações.

A partir da metade da década de 1950, Branham sempre tratava abertamente da doutrina bíblica, indicando uma posição mais na linha da Unicidade, posição referente à divindade, e pelo final dos anos 50 ele declarava expressamente que a Trindade como apresentada pela maioria das igrejas não tinha base escritural, e havia se iniciado no Concílio de Niceia com crenças pagãs de roma. Ele não tomou posição nem pelos unicistas, nem pelos trinitarianos, procurando tomar uma posição inteiramente correta diante da Bíblia. Após este período um grande número de outras doutrinas consideradas não-ortodoxas, foi tornando-se mais aparentes em seus sermões gravados.

As visitações do Anjo e os sinais sobrenaturais

Branham e seus seguidores acreditam que sinais sobrenaturais foram dados a Branham a fim de encorajar as pessoas a crerem em Deus. Um sinal físico aparecia em suas mãos a fim de indicar a doença antes mesmo de ela ser notada por médicos. Posteriormente, lhe passaram a ser revelados os segredos e necessidades inviduais das pessoas por Deus para a cura. Para alguns isto prova que Branham foi um profeta em cumprimento as profecias escriturísticas sobre os últimos tempos.

As descrições de Branham acerca de suas experiências sobrenaturais remontam à sua infância. Como jovem ele foi considerado "nervoso" por causa que desde jovem falava de suas visões e da voz que lhe falava como um vento, que lhe dizia: "Nunca beba, ou fume, ou polua o seu corpo. Haverá um trabalho para você fazer quando tornar-se mais velho". Pouco depois de ser ordenado, ele estava batizando algumas pessoas em 11 de junho de 1933 no Rio Ohio perto de Jeffersonville, quando uma ardente e brilhante bola de fogo apareceu a cerca de nao mais de 50 metros do solo. Em descrições posteriores ele noticia que na ocasião não só ele, mas todos os presentes ouviram uma voz que disse, "Como João Batista precursou a primeira vinda de Cristo, a sua mensagem precursará a sua segunda vinda!".

Branham declarou que ele estava orando sozinho, tarde da noite, durante sua busca por um sentido na sua vida, em que havia muitas coisas estranhas, em 1946 ou 1947, quando um anjo de luz lhe apareceu, dizendo: "Não temas. Eu sou um enviado da presença do Deus Altíssimo para lhe dizer que seu peculiar nascimento e sua vida estranha serviu para indicar que você tem uma mensagem a ser pregada às pessoas do Mundo. Se você for sincero na sua oração e fizer com que as pessoas creiam em ti, nada subsistirá diante da sua oração, nem mesmo o câncer. Você viajará por muitas partes da Terra e orará por reis, legisladores e muitos. Você irá pregar por multidões ao redor do mundo." Branham mais tarde defendeu que seu ministério e seus encontros com grandes homens das nações foi o cumprimento desta profecia.

O compromisso de Branham com o sobrenatural incluiu declarações de milagres. Ele declarou que em 1948 Deus lhe mostrou em uma visão um garoto espedaçado em uma rodovia, o qual foi ressucitado. Nesta data, ele pediu para que as pessoas na audiência marcassem sua declaração nas capas de suas Bíblias. e mais tarde a visão se cumpriu dois anos depois numa viagem missionária a Helsinque, na Finlândia, em 1950, num acidente de carro próximo a Kuopio, Finlândia. Branham conta que um garoto em uma bicicleta foi atropelado por um carro e morto. Deus por meio de Branham, então, veio em cena. E Branham pediu para que fosse removido o lençol sobre seu corpo, que estava espedaçado,e lembrou-se da visão. Ele pediu para orar pelo garoto, que, após isto, levantou-se vivo mesmo instante, na presença de todos, fato que foi publicado na revista local, e testemunhado por muitos, inclusive policiais que estavam no local.

A "foto sobrenatural"

Numa noite de 24 de janeiro de 1950, uma estranha fotografia foi tirada durante um encontro de pregação no [| Estádio de São Houston], em Houston, Texas. Foi dito que Branham estava parado no pódio, manifestou-se um halo de fogo por sobre sua cabeça. Uma fotografia deste fenômeno foi tirada, sendo a única do filme fotográfico que não se queimou. George J. Lacy, o Investigador de documentos do FBI, famoso no mundo todo, sujeitou o negativo a teste [1] e declarou em uma conferência que, "No meu conhecimento, esta é a primeira vez em toda a história do mundo que um ser sobrenatural foi fotografado e comprovado cientificamente". O original da fotografia está nos arquivos do Departamento Religiosos da Smithsonian Institution, em Washington, DC.

 

Doutrinas e Ensinamentos de Branham

Branham pregou milhares de sermões, nos quais 1.100 foram gravados em fita, e posteriormente transcritos em livretos. Com relação a profecias, Branham indicou que lhe foram reveladas sete grandes em 1933, mas quando veio a enunciá-las em sermões gravados, indicou que as primeiras cinco já se haviam realizado, enquanto as demais pelo estado do mundo poderiam se cumprir por volta de 1977. Em outras gravações, ele repetiu que por volta de 1977 as profecias poderiam estar cumpridas, o disse não como uma "profecia", mas uma "predição", deixando claro que era seu ponto de vista, e não algo que lhe foi dito por Deus. (Branham, William. | "A Era de Laodicéia", editada por Lee Vayle, §15):

Mussolini invadiria a Etiópia e aquela nação “cairia à sua passagem.” . Mas a visão dizia também que Mussolini chegaria a um terrível fim, com seu próprio povo revoltando-se contra ele.

 

A visão seguinte predizia que um austríaco por nome Adolf Hitler se levantaria como ditador sobre a Alemanha, e que ele arrastaria o mundo a uma guerra. Ela mostrava a linha Siegfried e como nossas tropas teriam um tempo terrível para vencê-la. A seguir ela mostrava que Hitler chegaria a um fim misterioso.

 

Haveria três grandes "ismos", Fascismo, Nazismo, Comunismo, porém que os primeiros dois seriam absorvidos no terceiro. A voz exortava, “Observe a Rússia, observe a Rússia. Mantenha os seus olhos no rei do Norte.”

 

A quarta visão mostrava o grande avanço na ciência que viria logo após a Segunda Guerra Mundial. Ela era encabeçada pela visão de um carro com capota como uma bolha de plástico, que estava percorrendo maravilhosas super estradas de modo que as pessoas apareciam assentadas nesse carro e eles estavam disputando alguma espécie de jogo para se distraírem e não precisava de motorista, não tendo nem mesmo direção.

 

A quinta visão tinha que ver com o problema moral de nossa época,(...) as mulheres começaram a se afastar de seu lugar com o privilégio do voto. Então cortaram seus cabelos, o que significa que elas não estavam mais sob a autoridade do homem, mas insistindo em direitos iguais, ou na maioria dos casos, mais do que iguais. Adotaram roupas masculinas e se enveredaram por uma moda de trajes sumários; até a última figura que vi era uma mulher despida, exceto por uma pequena folha de figo, tipo de avental.

 

Se levantou na América, uma mulher linda, porém cruel. Ela mantinha o povo sob seu completo controle. Eu acreditava ser este o levantamento da igreja Católica Romana, embora eu saiba que pudesse se tratar possivelmente de alguma mulher levantando-se em grande poder na América devido a uma votação popular pelas mulheres.

 

A última e sétima visão foi aquela na qual ouvi a mais terrível explosão. Quando virei-me para olhar não vi nada mais senão escombros, crateras, e fumaça por sobre toda a terra da América.

Outras notáveis profecias de Branham incluem:

·        Que Los Angeles e parte da Califórnia afundariam no mar. Ele disse que acreditava que isto poderia ocorrer antes que seu filho Billy Paul fosse um `homem velho´ (Pearry Green, Os atos do profeta, p. 119). Billy Paul nasceu em 1935, e seu pai se descrevia a si mesmo como um `velho´ quando ele estava com pouco mais de cinqüenta anos. Branham contou a um grupo de sua igreja: "As pessoas acharão graça da destruição pelo terremoto, quando foi dito que aconteceria, `Assim diz o Senhor´, na Costa Oeste dos Estados Unidos, mas, eu quero que vocês, irmãos, saibam disto, que se vocês tiverem amigos ou relacionamento com pessoas em Los Angeles, se eu fosse você, eu os faria sair de lá o mais rápido o possível". (Pearry Green, Os atos do profeta, p. 115). Muitos dos seguidores de Branham abandonaram a Califórnia, incluindo 95% de uma igreja (Elogio de Serviço Memorial #1, Phoenix, Arizona, 25 de Janeiro de 1966).

·        Há uma profecia sobre o Brasil, datada de 1961, que diz o seguinte: "Assim diz o Senhor: diga ao meu servo do Brasil, que ele tome esta viagem com prudência. Que ele não cambaleará entrando em qualquer lugar sem saber que tem se vestido com a armadura completa de Deus. (...) Portanto unam-se a si mesmo agora, una as mãos cada um em seus lugares, enquanto todos permanecem um ao lado do outro, e diga ao meu servo que será um campo aberto, e haverá mais sete nações ao redor que receberão esta salvação através do rádio e por um poder muito poderoso, e além dos meios do rádio, haverá uma mensagem poderosa de Deus que será escutada. (...) Agora mesmo há um sinal de perigo vindo daquele país. Agora há um levante no Sul de lá, e o Senhor lhe faz saber que lhe cobrirá com suas penas e debaixo das suas asas hás de confiar.". Segundo alguns seguidores, esta profecia se cumpriu com o Ministério do Pastor Joaquim Gonçalves que com um programa na Rádio Anhanguera, alcançou audiência de grande parte da América do Sul, com as quais iniciaram-se missões evangelísticas nestes países.

Branham ainda se manteve fora da teologia tradicional Cristã, com sua rejeição à doutrina da Trindade. No final dos anos 1940 e início dos anos 1950, Branham se abstinha de comentar sobre este assunto nos encontro interdenominacionais, sendo isto tratado no seu informativo "A Voz da Cura":

As doutrinas incomuns a denominação, que envolvam mistérios sobre a Soberania Divina, ou concernentes a fórmulas de batismo nas águas, devem ser evitadas nos encontros, e não ser identificado com isto mais tarde.


The Voice of Cure(A Voz da Cura), abril de 1948, p. 4

Todavia a partir de 1953 Branham anunciava publicamente a Trindade como uma heresia. Por exemplo:

A hora vem quando eu não eu não poderei mais me silenciar sobre estas coisas: está muito próxima a vinda, vêem? O Trinitarianismo é do Diabo. Eu digo que isto é o ASSIM DIZ O SENHOR. Veja de onde isto vem. Isto vem do Concílio de Nicéia, quando a Igreja Católica tomou o poder. A palavra "Trindade" não é nem mesmo mencionada na Bíblia. E longe de existir três Deuses, pois isto é do inferno. Há um só Deus, e isto é exatamente o correto.


‘Apocalipse cap. 4 - 3º parte - O Trono de misericórdia´, 8 de janeiro de 1961, § 174

Freqüentemente, Branham ensinou sobre a divindade, defendendo que não há distinções pessoais entre Jesus, O Pai e o Espírito Santo, e que estas 'pessoas' da Divindade são apenas o mesmo Deus atuando como em diferentes ofícios:

A Bília diz que Ele mudava a Sua feição, ou Ele mudava a Si mesmo, en morphe. A palavra vem do grego, en morphe, que significa, "um ator grego que atua em alguns atos"; hoje ele é uma coisa, no próximo ato ele é outra pessoa. Ele foi Deus Pai em um ato, Deus Filho em outro ato, e Ele é o Deus Espírito Santo neste ato, vêem? Aí está: Sua Palavra é ainda suprema. Nós estamos vivendo nos últimos dias.


'

 

Pai, Filho e Espírito Santo, agora, o Pai e o Espírito são o mesmo Espírito. Que Espírito? O Espírito de Deus. E Ele veio no batismo de Jesus e habitou n'Ele: 'Este é meu Filho amado em Quem me apraz habitar.' Ele desceu e habitou em Jesus, e O fez Emanuel na Terra.

 

 

Seus últimos dias

Em 18 de dezembro de 1965, William Branham e sua família retornavam a Jeffersonville, para os feriados de Natal. Em cerca de 5 quilômetros ao leste de Friona, Texas, o veículo de Branham abalroou outro veículo, vindo na contramão com um dos faróis desligados. Com o acidente, a esposa Meda e sua filha Sarah ficaram gravemente feridas. Relatou-se que Meda teria morrido e ressuscitado por uma oração de Branham, ainda consciente. Socorridos, Branham e sua família foram removidos dos carro e transportados até o Hospital de Friona, sendo depois levados ao Hospital de Amarillo, Texas. Lá, Branham sobreviveu por seis dias, morrendo na véspera de Natal, em 24 de dezembro de 1965, às 17:49h. Seu corpo foi levado à Jeffersonville, para o sepultamento.

 

O legado e a influência de Branham

A popularidade de Branham continuou aumentando até os últimos anos de sua vida. Em Fevereiro de 1961, a Voz dos Homens do Evangelho Completo (agora chamados Associação dos Homens de Negócio do Evangelho Completo) afirmaram: "Nos dias da Bíblia, houve homens de Deus que foram profetas. Mas, em todos os anais da História Sagrada, nenhum destes homens teve um tão grande ministério como o de William Branham, um profeta de Deus... Branham foi usado por Deus, no Nome de Jesus". Os ensinamentos de Branham e sua notoriedade tiveram uma profunda influência nos movimentos Pentecostal e Carismático. Tendo Branham morrido em 1965, há ainda milhares de pessoas em todo o mundo que o identificam como um profeta, o cumprimento à profecia do Livro de Malaquias 4:5. Branham ensinou que as Sete Igrejas do Apocalipse representaram Sete Eras da Igreja, tendo cada qual um mensageiro. Segundo ele, a sucessão de mensageiros foi: O Apóstolo Paulo, Irineu, São Martinho de Tours, São Columba, Martinho Lutero e João Wesley. Branham geralmente não faz menção sobre quem seria o último mensageiro, mas, com base na descrição que faz, acreditam os seguidores de Branham tratar-se dele mesmo. É difícil medir a influência de Branham em outros evangelistas deste período, mas certamente foi ele o pioneiro dos avivamentos em tendas, que antecedeu a era do tele-evangelismo. Branham é sempre mencionado como o líder do primeiro avivamento da segunda onda do pentecostalismo, que varreu os Estados Unidos depois da Segunda Guerra Mundial. Entre aqueles que iniciaram ao mesmo tempo de Branham e de parte da segunda onda do

sexta 12 setembro 2008 15:38 , em Profeta


A "foto sobrenatural"

Blog de feperfeita :Tabernaculo da Fé, A 'foto sobrenatural'

sexta 12 setembro 2008 15:29 , em Profeta


Entrevista

Assista a entrevista de William M. Branham.

 

sexta 01 agosto 2008 14:01 , em Vídeos


O Batismo

Ide então, e ensine todas as nações, batizando-os no nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Mateus 28:19).

A Bíblia exige o batismo em água para a igreja do Novo Testamento, e é nossa responsabilidade para obedecer este ensino. Um dia cada um de nós responderá por nossas ações durante nossas vidas. Considerando que nós temos a Palavra de Deus, a ignorância não será uma desculpa aceitável naquele dia.

A Necessidade de Batismo em Água

O Batismo em água é uma parte necessária da salvação praticada no Novo Testamento? As pessoas têm várias idéias sobre o batismo em água, mas não nos satisfaz porque dependemos da palavra de Deus a Bíblia como nossa fonte de instrução.

Jesus nos deu alguma perspicácia sobre a importância do batismo em água em João 3:5: "Jesus respondeu, Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus." Ambos o contexto daquela declaração e a prática subseqüente da igreja do Novo Testamento indica que Ele estava falando de batismo em água e o batismo do Santo Espírito.

Em Mateus 28:19, Jesus incunbiu os apóstolos e nos deu uma ordem direta para ir, ensinar, e batizar os convertidos. Desde que Ele deu esta ordem, o batismo é importante e necessário. O Nome do Pai, Filho, e Espírito Santo.

Jesus ensinou que batizássemos "no nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo." Em outras palavras, Ele nos disse que batizássemos no nome (singular) que revela completamente a obra de Deus nas suas manifestações remissórias. O que é este nome?

O nome dado ao Filho de Deus foi Jesus. "Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles" (Mateus 1:21).

O nome dado ao Filho de Deus foi Jesus. "Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles" (Mateus 1:21). Jesus foi um ser humano genuíno, nascido pela obra milagroso do Espírito de Deus no útero de uma virgem, e assim Ele era literalmente o Filho de Deus (Lucas 1:35). Ele era mais que um homem, porém; Ele era de fato o Deus manifestado na carne (Coloss. 2:9; I Timoteo 3:17). Ele era a imagem visível do Deus invisível (Coloss. 1:15).

Jesus como tal declarou, "Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis" (João 5:43). Em outras palavras, o Pai se fez conhecido a nós pelo nome de Jesus. O Pai, o único e verdadeiro Deus invisível, deu o nome dele ao Filho (a manifestação de Deus em carne) assim o Filho recebeu o nome dele por herança (Hebreus 1:4).

O nome Jesus significa literalmente "Jeová Salvador." Jeová era o nome sem igual pelo qual o único e verdadeiro Deus se identificou para Israel no Velho Testamento. O nome Jesus descreve o único Deus do Velho Testamento que veio em carne para ser nosso Salvador. Assim o nome de Jesus revela o Pai e o Filho.

E sobre o Espírito Santo? Que nome revela Deus na sua essência espiritual e ação? Jesus disse, "Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito " (João 14:26). Em outras palavras, o Espírito Santo vem a nós no nome de Jesus. O Espírito Santo não vem a nós com uma identidade separada mas é o Espírito do próprio Jesus-Jesus mesmo vindo morar espiritualmente dentro de nós (João 14:16-18; Colossenses 1:27).

Em resumo, o nome supremo que revela Deus-o nome pelo qual nós conhecemos o Pai, Filho e Espírito Santo - é Jesus. Invocando o nome de Jesus, então, nós cumprimos a ordem de Mateus 28:19. A Importância do Nome de Jesus

Muitas passagens da Bíblia enfatizam a importância e supremacia do nome de Jesus. "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (Atos 4:12).

"Deveriam ser pregado arrependimento e perdão de pecados no nome dele entre todas as nações, começando em Jerusalém," (Lucas 24:47).

""Dele todos os profetas dão testemunho de que, por meio de seu nome, todo aquele que nele crê recebe remissão de pecados" (Atos 10:43).

"Tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles" (Hebreus 1:4).

"Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra; e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2:9-11).

"E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai" (Colossenses 3:17). A Prática da Igreja Primitiva

Como fez os apóstolos obedecendo a órdem que Jesus deu a eles em Mateus 28:19? No Dia de Pentecostes, os pecadores fizeram a pergunta, "Varões e irmãos, o que faremos nós? " (Atos 2:37). O apóstolo Pedro respondeu-lhes: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo." (Atos 2:38). Este verso revela que os apóstolos batizaram no nome de Jesus Cristo e que o batismo é para o perdão de pecados.

Quando Saulo, depois conhecido como Paulo, se arrependeu, Ananias o instruiu, "E agora por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor" Qual é o nome do Senhor?

Há pouco dias antes, Paulo tinha feito a mesma pergunta: "Quem és tu, Senhor? E o Senhor disse, eu sou Jesus a quem tu persegues" (Atos 9:5). Paulo depois escreveu, "Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo" (I Coríntios 12:3).

Jesus se revelou a Paulo como o Deus. Paulo conhecia a respeito do Senhor Deus do Antigo Testamento, mas naquele momento ele não servia a Jesus do Novo Testamento. Mas ele aprendeu que o Deus do Velho Testamento era o mesmo Deus do Novo Testamento, e para seu assombro este Deus era Jesus.

Quando Filipe pregou o evangelho em Samaria, "aqueles que creram foram batizados no nome do Senhor Jesus" (Atos 8:16).

Quando um grupo de Gentios recebeu o Espírito Santo, Pedro perguntou, "Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo" (Atos 10:47-48). Como nós vimos há pouco, o nome do Senhor é Jesus. Além disso, traduções como a Bíblia Ampliada e a Nova Versão internacional indica, os manuscritos gregos mais velhos que nós temos agora de fato declaram aqui, "no nome de Jesus Cristo".

Paulo rebatizou os discípulos de João em Éfeso no nome de Jesus. "Ele lhes disse, Em que, pois, fostes batizados? Responderam: No batismo de João. Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus. Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. " (Atos 19:3-5). A Ordem de Mateus 28:19.

A igreja primitiva Claramente batizou todo o mundo - Judeus, Samaritanos, e Gentios -em o nome de Jesus. Como esta prática harmoniza com Mateus 28:19? Primeiro, Mateus 28:19 "no nome" não "nos nomes" ou " nos títulos ou posições de Deus." O nome que Mateus 28:19 descreve é Jesus. Assim os apóstolos entendendo corretamente converteram em nome de Jesus.

A Bíblia não nos fala que nós temos vida pelos títulos de Pai, Filho, e Espírito Santo, mas nos fala que temos vida pelo nome de Jesus. "Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome" (João 20:31).

A Bíblia não diz que nós somos batizados em três pessoas diferentes, mas diz que nós somos batizados em Jesus Cristo" (Romanos 6:3-4). Especificamente, nós somos "sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos" (Colossenses 2:12). Conclusão

Logo antes da Sua ascensão Jesus deu a órdem batismal para os apóstolos encontrada em Mateus 28:19 . De acordo com Lucas 24:45, Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras. Alguns dias depois da sua ascensão, Ele batizou 120 discípulos com o Espírito Santo no Dia de Pentecostes. Nesta ocasião, os apóstolos proclamaram à multidão a que todo o mundo deveria ser batizado em nome de Jesus (Atos2:38).

Os apóstolos entenderam que Jesus era o nome remissório do Pai, Filho, e Espírito Santo. Eles não repetiram esses três títulos apenas, mas eles invocaram o nome ao qual esses títulos se referem. Os outros pastores na Igreja do Nova Testamento, como Filipe, Ananias, e Paulo, aderiram a mesma fórmula batismal.

Não há nenhuma contradição na Palavra de Deus. O Novo Testamento ensina que nós devemos ser batizados "no nome" do Pai, Filho e Espírito Santo, e que o nome para invocarmos no batismo é Jesus.

sexta 25 julho 2008 11:43 , em Mensagens Bíblicas


Fe perfeita

 

Visite o site da Fé Perfeita e assista nossos cultos ao vivo e os anteriores o site é:    http://www.feperfeita.org.br

Eu convido você para visitar nossa igreja os endereços são:

Rua:Dr Alvaro Lemos, S/N

Jaguaribe-João Pessos-PB

Cep:58000-970

Fone83)3222-4171

Caixa Postal 3045

E-mail:feperfeita@gmail.com

Ligue e saiba como adquirir dvds e cds de estudos bíblicos.

Assista o programa FEPERFEITA de segunda a sábado pela Tv Tambaú as 7:30 da manhã.

Obrigado,e espero que você visite nossa igreja e que o Senhor Jesus lhe abra o entendimento para a verdadeira palavra.Obrigado fique com o Senhor Jesus Cristo Amém.

sexta 06 junho 2008 15:04 , em Contatos e Endereços


|

Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para feperfeita

Precisa estar conectado para adicionar feperfeita para os seus amigos

 
Criar um blog